O que é Neurologia

Neurologia é a especialidade médica que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso. Especificamente, ela lida com o diagnóstico e tratamento de todas as categorias de doenças que envolvem os sistemas nervoso central, periférico e autônomo, incluindo os seus revestimentos, vasos sanguíneos, e todos os tecidos efetores, como os músculos O correspondente cirúrgico da especialidade é a neurocirurgia.

 
O neurologista, médico que se especializou em neurologia, é treinado para investigar, diagnosticar e tratar distúrbios neurológicos. O neuropediatra trata doenças neurológica em crianças. Neurologistas também podem estar envolvidos na pesquisa clínica, ensaio clínicos, bem como em pesquisa de ciências básicas da medicina

O que é Neurocirurgia

O QUE É NEUROCIRURGIA

Neurocirurgia é a especialidade médica que se ocupa do tratamento de doenças do sistema nervoso central e periférico (como tumores, doenças vasculares, degenerativas), traumas cranio-encefálicos e raqui-medulares passíveis de abordagem cirúrgica. Recentemente, também passou a tratar da substituição de órgãos sensoriais (olho e ouvido interno) disfuncionais por dispositivos artificiais.
  
Esta especialidade é certificada ao médico que realize um período de formação tutelada, variante segundo os países.
 
No Brasil a residência em Neurocirurgia compreende 5 anos de prática clínica e cirúrgica. O programa de residência médica é definido pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) em parceria com a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, que fornece o título de especialista, de comum acordo com a Associação Médica Brasileira. Pode ainda haver um 6º ano opcional, de subespecialização.
 
Em Portugal, o internato consiste em 72 meses distribuídos do seguinte modo: 6 de Cirurgia Geral (o que inclui 3 de Traumatologia), 3 de Neurologia, 3 de Neuro-radiologia, 48 de Neurocirurgia, 3 de Otoneurocirurgia, 3 de Oftalmoneurocirurgia, 2 de Ortopedia, 2 de Cirurgia Plástica e 2 de Cirurgia Vascular. A avaliação (teórica, prática e curricular) é feita no fim de cada ano e do internato. Finalizado este período de formação, o médico adquire o grau de especialista.
 
Tanto as Sociedades Brasileira e Portuguesa de Neurocirurgia como a Academia Brasileira de Neurocirurgia e o Colégio de Especialidade de Neurocirurgia da Ordem dos Médicos portuguesa são reconhecidos pela World Federation of Neurosurgical Societies.
O processo geral de uma neurocirurgia (principalmente ao encéfalo e às vezes na medula espinal) consiste em fazer "furos" no crânio do sinistro para a parte com um problema ser exposta às mãos dos neurocirurgiões que trataram do problema usando lentes de aumentação e objectos muito delicados para não danificar o tecido encefálico. Um neurocirurgião pode resolver problemas como: retirar um coágulo de um vaso sanguíneo minúsculo sem danificar o cérebro. Se a parte do encéfalo for mais vasta recorre-se aos "furos" em pontos chave e depois no levantamento dessa determinada parte do crânio. No fim da cirurgia é de novo colocado o osso craniano removido ou é substituído por uma parte de plástico da mesma dimensão que o osso. Os neurologistas conseguem ver as partes chave e precisas que têm de ser operadas através de Raios-X, TAC(Tomografia Axial Computorizada) e outros tipos de exames imagiológicos.

  
Durante a reabilitação pós-operatória o doente deve ter cuidado com os ferimentos na zona operada pois poderá provocar uma hemorragia intracraniana onde o cérebro começa a inchar e o doente pode ficar em morte cerebral.